SEO para WordPress em 2015


Nos últimos anos aconteceram muitas mudanças no algoritmo de buscas do Google. As atualizações frequentes trouxeram novos desafios para a definição e a aplicação de otimizações de SEO. Aqui você encontra algumas das melhores práticas relacionadas ao SEO para WordPress, incluindo uma pequena lista com sugestões de plugins e templates gratuitos ao final do post.

Os esforços de otimização em SEO já devem iniciar na instalação e a na configuração do seu CMS. Considerando o WordPress, se você resolveu customizar um tema pronto, busque um template que seja amigável aos buscadores. Templates amigáveis impactam principalmente em velocidade e código otimizado para seu site.

O código é o principal elemento na busca por otimização SEO. Ele precisa ser limpo, contendo os tagueamentos necessários e corretamente posicionados. Algumas ações importantes em SEO são o uso correto das tags título, headings, subheadings, uso da URL canonical e o HTML validado segundo padrões do W3C. Além disso, deve-se primar por uma boa integração com a metatag opengraph, já que isto aprimora os compartilhamentos via mídias sociais.

Velocidade também conta. No entanto, esse aspecto é um pouco mais difícil de se ter controle, pois ainda que você escolha um template leve, o seu site poderá ficar lento dependendo dos plugins, mídias e outros elementos adicionados posteriormente. Para melhorar esse quesito, a KingHost disponibilizou o módulo Google Page Speed para os sites hospedados conosco. O Google Page Speed pode ser ativado gratuitamente através do Painel de Controle dos clientes.

Alguns elementos da otimização de SEO para WordPress

Links Permanentes

Pode parecer repetitivo, mas sempre que falarmos em SEO, precisamos salientar a importância das URL’s amigáveis. Configure-as usando o dashboard do seu WordPress:
otimizando seo - url canonical

Como pode ver acima, a configuração padrão mostra um código nada descritivo na sua URL. Porém, o WordPress permite que você mude essa configuração, tornando suas URL’s mais compreensíveis com um clique, tanto para os usuários quanto os buscadores.

O uso das tags H1, H2, H3…

Quando você utiliza corretamente estas tags, você está de certa forma conversando com o Google. Ao utilizar estas tags, você informa que determinado pedaço de conteúdo é mais importante que outro. Ao editar seus posts você terá 6 níveis de headings, o H1 é, em geral, o título principal do seu post e os demais H’s podem ser usados na formatação geral do texto. Nunca esqueça de deixar o título e subtítulos dos seus artigos informativos e atrativos ao clique.

Otimizando as imagens

Otimizar suas imagens para SEO é simples e pode funcionar como um diferencial no seu conteúdo. Quando você adiciona imagens às suas páginas, você poderá adicionar título, texto alternativo e descrição a elas. O texto alternativo (tag Alt) é o item mais importante e deve ser preenchido de maneira descritiva. Lembre que spiders (os robôs dos buscadores, que indexam as informações do seu site) não interpretam imagens, mas conseguem “ler” o texto alternativo contido nelas.

Escrevendo conteúdo de qualidade

A melhor forma de garantir uma boa posição em buscadores atualmente é escrevendo muito conteúdo, especialmente artigos que os visitantes do seu sites considerem valiosos. Se você possui um site institucional e quer um bom posicionamento em motores de busca, pense em criar um blog também. Nele, você poderá incluir conteúdos relacionados aos produtos/serviços que oferece e/ou relacionados à sua área de atuação.

Apesar de o Google perceber melhor sites e blogs que atualizam seus conteúdos com frequência, nem pense em criar conteúdos sem valor, cheios de palavras-chaves repetidas e sem contexto. Isso não irá ajudá-lo, na verdade, as chances são grandes de que o Google possa penalizar o seu site por isso.

Mas afinal, como definir conteúdo de qualidade? Gostei bastante desta definição:

Ele é único. É natural que você escreva sobre assuntos que já foram abordados, mas crie conteúdos a partir de um ponto de vista próprio, referenciando as fontes consultadas. Nunca, nunca mesmo, copie e cole conteúdos de outros sites. Leia este post sobre a importância da originalidade no seu conteúdo.
Ele é útil. Tutoriais e listas de dicas são ótimos exemplos de conteúdos úteis, que podem ajudar de forma objetiva seus leitores. Cases são bons exemplos também, já que em geral incluem lições importantes obtidas através de determinadas experiências.
Ele é compartilhado. Um conteúdo único e super útil para o leitor provavelmente será compartilhado por ele. Se o seu conteúdo é bastante compartilhado, o Google entende que ele tem valor para os leitores e que, portanto, merece destaque nas buscas. Confira um post falando sobre o marketing de conteúdo e outro dando dicas sobre como planejar conteúdos para o seu blog.

Quanto ao uso de palavras-chave, seja sensato.

Não saia indiscriminadamente adicionando palavras-chave ao seu texto, o uso delas deve ser natural. Uma das práticas que o Google condena (também chamadas de black hat) chama-se Keyword stuffing, que em inglês significa encher seu texto com os termos que pretende ranquear, mesmo que eles não façam sentido onde estão. Evite essa prática, escreva para humanos e o Google o recompensará como consequência. Alguns tagueamentos merecem atenção quanto ao uso de palavras chaves, sempre respeitando o contexto em que elas aparecem:

Títulos e subtítulos
O uso de keywords nos títulos continua sendo ótimo, mas somente se as palavras-chave “se encaixam” bem ali, cuide do significado do que você está escrevendo.
Alt das fotos
Descreva suas fotos com a tag alt, de preferência usando palavras-chaves e variações. Mesmo em diferente imagens, evite repetir muitas vezes as mesmas palavras, pois o Google pode interpretar isso como conteúdo duplicado ou keyword stuffing.
Corpo do texto
Nunca é demais enfatizar, use somente os termos quando eles forem relevantes. Neste artigo (em inglês) do Search Engine Journal, eles usam a seguinte expressão: “posicionamento é mais significativo que frequência”. Fala(va)-se que X por cento era a densidade de palavras-chave ideal em um artigo. Em 2015 o Google está muito mais interessado na relevância do seu conteúdo do em qualquer outra métrica exata.

Alguns plugins SEO para ajudá-lo em 2015

  • WordPress SEO by Yoast
    Ele toma conta de diversos aspectos SEO do seu WP: adiciona meta value para a home; adiciona meta value para cada post; social SEO; cria arquivos sitemap; edita robots.txt e .htaccess; controla a indexação do seu blog.
  • Broken Link Checker
    Esse plugin monitora seu site em busca de links quebrados (404), avisando quando algum é encontrado.
  • EWWW Image Optimizer
    Este plugin deixa as imagens do seu blog muito mais leve e sem perder a qualidade.
  • Social Tags
    Transforma suas tags em hashtags, deixando seu conteúdo muito mais fácil de ser encontrado em redes sociais.
  • Term Management Tools
    Muito legal para quem precisa organizar tags e categorias. Com ele é possível transformar tags em categorias ou vice-versa, combinar dois ou mais termos em um e, além disso, informar hierarquia entre categorias existentes.

Algumas sugestões de templetes gratuitos e amigáveis aos buscadores

PlayBook

template wordpress seo compatível

Esquema de cores ilimitado,  SEO amigável e responsivo, entre outras vantagens.

Asteria

exemplo de otimização para buscadores
Leva, compatível e otimizado para buscas. Possui interface amigável.


LocalBiz 

SEO - como otimizar WordPress
Limpo e moderno, ideal para negócios e portfólio. Otimizado para SEO, com widgets customizados, opcionais no tema, design responsivo, código limpo entre outras vantagens.

Clique aqui (inglês) e confira mais opções.

 

Conclusão

O Google está mais “esperto” a cada atualização, sendo capaz de detectar a qualidade dos conteúdos oferecidos de forma eficiente. Pensamos em destacar aqui as mudanças que surgiram na ferramenta, dando destaque ao que aconteceu depois da atualização Panda. Além do que foi citado neste post, hoje a usabilidade dos sites via mobile e o uso de redes seguras são outros exemplos de elementos que estão sendo levados em conta na hora de decidir quem fica no topo das buscas. Porém, a ênfase maior continua sendo na qualidade do conteúdo e na consequente entrega da boa experiência ao usuário.

 

 

Leonéia Evangelista

Leonéia Evangelista

é bacharel em Comunicação Digital pela Unisinos e mestre em Bibliotecas Digitais pelo programa Digital Library Learning (Erasmus Mundus). Trabalha com web há mais de 8 anos e atualmente cursa MBA em Marketing Estratégico.
Leonéia Evangelista

Comentários

comentário(s)