História do PHP – Curiosidades por trás dos 23 anos da linguagem


Que PHP é uma das linguagens mais populares da web você já está cansado de ler e saber. Mas você sabe a história do PHP? Hoje, no aniversário de 23 anos do querido filho do Rasmus Lerdorf, vamos desbravar um pouco desta trajetória. Por exemplo, você sabia que existe um pulo no número de versões de PHP? E que esta linguagem nem sempre foi chamada por este nome?

Senta que lá vem história…

A História do PHP

O PHP, como é conhecido hoje, é na verdade o sucessor para um produto chamado PHP/FI. Criado em 1994 por Rasmus Lerdof, a primeira encarnação do PHP foi um simples conjunto de binários Common Gateway Interface (CGI) escrito em linguagem de programação C.

Em Junho de 1995, Rasmus liberou o código fonte do PHP para o público, o que permitiu que desenvolvedores o utilizassem da forma como desejassem. Isso permitiu e encorajou usuários a fornecer correções para bugs no código e, em geral, aperfeiçoá-lo.

Em 1997 e 1998, PHP/FI teve o apoio de milhares de usuários ao redor do mundo. Uma pesquisa Netcraft de Maio de 1998 apontou que cerca de 60.000 domínios relataram ter cabeçalhos contendo “PHP”, indicando que o servidor de hospedagem de fato tinha o PHP instalado. Este número pode ser equiparado com aproximadamente 1% de todos os domínios da Internet na época.

PHP 3

Dentro da história do PHP, o PHP 3.0 foi a primeira versão que se assemelha com o PHP como existe hoje.

O PHP/FI se encontrava ainda ineficiente e não tinha os recursos necessários para prover a aplicação e-commerce que Andi Gutmans e Zeev Suraski, de Tel Aviv, Israel, estavam desenvolvendo para um projeto da universidade. Por isso, eles começaram outra reescrita completa do interpretador em 1997, quando eles discutiram vários aspectos para a corrente implementação e re-desenvolvimento do PHP.

Andi, Rasmus e Zeev decidiram colaborar no desenvolvimento de uma nova e independente linguagem de programação, que foi lançada com novo e removeu a impressão do limitado uso pessoal que o nome PHP/FI 2.0 tinha mantido. O projeto foi renomeado simplesmente para ‘PHP’, com o significado se tornando um acrônimo recursivo – PHP: Hypertext Preprocessor.

PHP 4

Em 1998, logo após o PHP 3.0 ter sido oficialmente lançado, Andi Gutmans e Zeev Suraski começaram a trabalhar em uma reescrita do core do PHP. Os objetivos do projeto eram melhorar a performance das aplicações complexas e melhorar a modularização do código base do PHP.

O novo motor, chamado ‘Zend Engine’ (composto pelos primeiros nome, Zeev e Andi), alcançou os objetivos do projeto com sucesso, e foi introduzido em meados de 1999. O PHP 4.0, baseado neste motor, e uma variedade de novos recursos adicionais foram oficialmente lançados em maio de 2000, quase dois anos após seu antecessor.

PHP 5

O PHP 5 foi lançado em julho de 2004, após um longo desenvolvimento e vários pré-lançamentos. Impulsionado principalmente pelo seu core o Zend Engine 2.0, com um novo modelo de objeto e dezenas de outros novos recursos.

O time de desenvolvimento do PHP incluiu dezenas de desenvolvedores trabalhando em algo relacionado ao PHP e apoiando projetos como PEAR, PECL, documentação e infraestrutura de rede subjacente de bem mais de uma centena de servidores web em seis dos sete continentes do mundo. Embora seja apenas uma estimativa baseada nas estatísticas de anos anteriores, é seguro presumir que o PHP está agora instalado em dezenas, talvez centenas de milhões de domínios em todo mundo.

HHVM – Hack

Entre a versão 5 e a versão 7 do PHP que temos hoje se passaram 11 anos.

Neste meio tempo muitas empresas adotaram o PHP como linguagem principal para desenvolvimento de seus sistemas, como por exemplo, o Facebook. A rede de Mark Zuckerberg, por sua vez, ao ver que se passaram anos sem uma evolução significativa e sem o lançamento de novas versões do PHP, começou a desenvolver a linguagem Hack baseada em PHP e executada em cima do HHVM (HipHop Virtual Machine).

PHP 7 …

via GIPHY

Em dezembro de 2015…..Ei!! E o PHP 6??

Houve um PHP 6. Ou pelo menos uma tentativa dele. Porém, o resultado não foi satisfatório e a versão não foi publicada oficialmente, mas existiam informações sobre essa versão. Logo poderia haver confusão se esta nova versão se chamasse PHP 6. Então, para evitar esses problemas, a equipe do PHP resolveu chamar a nova versão de PHP 7.

Outro motivo é que tinha muito charlatão por aí vendendo livros, cursos e aulas sobre o PHP 6, que nem sequer existia oficialmente. Se quiser saber mais sobre os diversos motivos dessa escolha, leia o RFC oficial sobre a discussão sobre o nome da versão do PHP.

PHP 7 (agora sim!)

A história do PHP ainda não terminou! Em dezembro de 2015, após anos de desenvolvimento, é lançado oficialmente o PHP 7.  Entre as novidades mais significativas da versão 7 do PHP está a sua performance, em alguns casos até 9 vezes mais rápida, como podemos ver no comparativo abaixo:

história do php

Não vamos entrar a fundo em todas a novidades do PHP 7, pois teríamos que ter um post falando somente deste assunto, mas se você tiver interesse pode acessar os novos recursos PHP 7.

Tendência histórica do uso de PHP na Web e quem usa

Neste comparativo abaixo podemos ver a tendência histórica do uso de linguagens server-side na web nos últimos 8 anos, no qual a linguagem PHP sempre esteve como mais utilizada tendo pequenas oscilações, que se encaixam com sua história como foi citada acima.

É possível identificar baixas nos anos onde não teve atualizações significativas, mas o crescimento foi retomado com o lançamento da versão 7.

a história do php

Hoje, grandes empresas no mercado utilizam essa linguagem como principal para o desenvolvimento de seus sistemas.

Empresas como Facebook, que iniciou utilizando PHP e depois desenvolveu sua própria linguagem baseada em PHP; Wikipedia, que utiliza um dos inúmeros CMS desenvolvidos em PHP e outras empresas conhecidas como Twitter, MailChimp, Yahoo, Slack, BMW, KingHost, entre outros.

– –

Curtiu saber mais sobre a história do PHP? Várias curiosidades bacanas, né? Fique ligado no nosso Blog da KingHost para ter sempre acesso a mais novidades e materiais exclusivos.

Resumo
Fernando Silva

Fernando Silva

Analista de Desenvolvimento em KingHost
Analista de Desenvolvimento na KingHost, graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) pela Faculdade Senac Porto Alegre, onde ganhou o Prêmio Keller de melhor trajetória acadêmica. Atualmente faz pós-graduação em Segurança Cibernética pela UFGRS, além disso, é um dos coordenadores da comunidade PHP-RS, é entusiasta Open Source e Software Livre.
Fernando Silva

Comentários

comentário(s)

Categories